Documento de 29 de janeiro de 1862

De Sala Virtual Brusque
Ir para navegaçãoIr para pesquisar

EXMo. E REVMo. SNr.

Em obediencia à ordem de Vª. Exª., que me foi communicada em Officio de data 23 do corrente mez, afim de responder a queixa, que de mim à Vª. Exª. apresentarão alguns Colonos da Colonia Brusque da qual sou Director, tenho a honra de submeter a minha resposta à Consíderação e juizo recto de Vª. Exª., como segue.

Em primeiro lugar não gozão os quatro Colonos, Signatarios do requerimento consideração alguma na Colonia, que explique a confiança, que dizem ter os outros n'elles depositado, para representalos em uma accusação como a presente, e o respondente tem mais perfeita convicção, que elles nada mais são, do que instrumentos de certos individuos, não Colonos, seus inimigos gratuitos, que pretendendo alcançar empregos e preponderancia que favoreção seus interesses pessoaes, não reccuão ante as mais revoltantes falsidades para tentar derribar o respondente, e assim melhor conseguirem seus fins interesseiros.

O estado actual da Colonia não hé triste como falsamente assevera o habil author do requerimento; pelo contrario tem sido, digo, tem visivelmente prosperado, offerecendo um futuro lisongeiro e esperançoso como podem certificar à Vª. Exª. todas aquelas pessoas, que Officialmente a tem ido inspeccionar.

Se todavia reina descontentamento na Colonia, provem isto da falta da remessa em tempo do denheiro, o que tem inhibido fazer os pagamentos a tempo e hora. Esse inconveniente porem cessará desde que trimestralmente forem para ali remetidas adiantadas as quantias necessarias as despesas.

Na boa intenção de prevenir consequencias peiores, tenho-me visto varias vezes na necessidade de censurar em termos comedidos, actos daquelles, que são hoje meus detratores, e hé por isso, que elles agora se vingão, imputando-me até vícios pessoaes, tudo para me desconceituar para com Vª. Exª. e assim chegarem a seus fins.

Quanto à essas ultimas imputações injuriosas, e que me são exclusivamente pessoaes permittir-me-ha Vª. Exª. que apenas responda, que contra ellas protestão os meus antecedentes, o meu caracter e a minha idade.

O livro da Caixa e as listas de Salarios como a da dístribuição dos subsidios (tudo archivado) estão com tante minuciosidade especificados, que com a maior facilidade exactidão podem ser examinados de real a real à toda hora, como no seu breve regresso poderá informar a Vª. Exª. o Director interino João André Cogoy Junior.

Como no anno proximo passado eu chegasse à esta Cidade em fins do anno financeiro, tive por isso de esperar mais de um mez, até poder receber da Thezouraria da Fazenda o denheiro para a Colonia, pertencente aos mezes de Junho e Julho, e tendo ficado pouco denheiro em Caíxa na Colonia, recomendei em carta particular e confidencial ao Secretario Guido de Seckendorf a maior economia, podendo, até que eu voltasse com denheiro, mandar os Colonos mais necessitados ou mais exigentes à Caza de negocio de Joaquim Pereira Liberato, então o unico negociante afastado na Colonia, para os remediar fornecendo-lhes mantimentos e denheiros.

O Secretario assim o fez, commetendo porem a desleal acção de dar d'essa minha carta de confidencia conhecimento a um vendelhão dali, de nome Dankwardt, com a maligna intenção de este (que não estava habilitado para fornecer o que se precisava) me acoimar de parcial e de fazel-o suppôr que eu pretendia, affastal-o da concurrencia; e não pode ser outro, se não este, o ridiculo motívo, pelo qual os queixosos chamão o Armazem de Liberato “a venda do Governo”.

Por officio archivado, do Exm°. Snr. Dr. Brusque me foi até recommendado o indicar aos Colonos de tirar deste ou daquelle armazem tudo o que precisassem, que lhes julgava o mais conveniente.

No meu regresso à Colonia em fins de Ju1ho, commecei logo a pagar a Liberato os abonos, que havia feito aos Colonos, a vista dos recibos destes, e enquanto houve dinheiro fui pagando aos Colonos em mão propria o que lhes era devido de subsidios e de jornaes. Acabado o dinheiro, e para fazer face às necessidades dos Colonos, mandei ao Secretario, que désse a cada Colono necessitado um escritto sem assignatura alguma; e sem especificar Caza alguma de negocio à que se dirigissem. Estes escrittos levarão unicamente do Colono o nome e a quantia que tinha neste ou naquelle mez de receber da Directoria, quando esta tivesse denheiro para o pagamento, avizando-os que se derigissem à qual dos negocios, digo, negociantes quizessem, e que lhes quizessem fiar generos ou adiantar denheiro, na inteligencia, que tinhão de entregar o escríto aos seus fornecidores authorisando-os que meio desuas proprias assignaturas, para poderem receber o ímporte de seus proporcionaes abonos, da Directoría, logo que esta tivesse denheiro para os pagamentos, apresentando os escrittos e authorizações que bodos se achão em archivos, e passando os authorizados recibos nas listas dos pagamentos, e assim se fez. Por dífferentes vezes officiei à Presidencia que as repetidas faltas de fundos não me deixarião e não me deixarão evitar o meio que acabo de explicar à Vª. Exª., para valer aos Colonos necessitados, meio aliás menos conveniente, mais unico para não os deixar cahir em maiores apuros n'esses fataes intervallos de remessas. Vª. Exª. bem está sabendo, que a Directoria em vez de diminuir o jornal pedio tanto no relatorio annual como em Offício separado augmento do mesmo,, descontando sómente, e conforme a respectiva Ordem, os subsidios individuaes d'aquelles dias em que o colono trabalhasse em cervíço publico ou particular; de maneira que, aquelle que já tinha recebido nas vendas o importe de seus subsidios mensaes ou em generos ou em denheiro ou directamente da Directoria v.g. de 400 reis por dia, e suppondo, que tinha trabalhado no mesmo mez 10 dias, esse não podia receber o seu jornal ínteiro de 900 reis, mas sómente 500 reís, accreditando-se lhe na sua divida de Subsidios, pelos 10 dias a 400 reis, por ignorar-se o numero de dias, que ia trabalhar, quando recebeo de uma ou de outra maneira os subsídios adeantados. Quanto à distribuição de sementes, é esta entregue à um fiel colono, e feita em quantidades iguaes: milho e feijão e arroz em porções de 4 Salamins de cada qualidade e especie a cada familia, fazendo-se de tudo lançamento em hum livro especial para esse fím; batatas e recebeo poucas e por isso se destribuio em menores, mais iguaes porções, que toda via não forão todas plantadas, preferindo alguns comel-as, outros tão bem comprarão nas vendas maiores porções pois produzem muito bem; bananeiras; mangaritas, inhame, sementes de hortaliças e outras sementes, recebem conforme aparecem para comprar, ramos de mandioca e cana para plantar, elles mesmos tem de procurar~se, e para isto a Directoria lhes empresta Canoas que não estão em serviço.

O ferreiro, aliás Serralheiro Thieme, hoje agrimensor, que fora recommendado à Colonia como tal, pelo Delegado das terras publicas, o Major João Alvim, já se tinha aplicado em sua arte actual com muito esmero na medição geral do terreno da Colonia, feita a 4 annos, e se achar habilitado para desempenhar a sua tarefa com suficiencia sendo-me satisfactorio de poder communical-o a Vª Exª., e se logo no começo os Colonos precisarão esperar mais tempo, antes que podessem transportar-se à seus lotes, he porque o território da Colonia estava então em perfeito matto virgem, som recurços, aonde tudo se havia de preparar, abrir caminhos de ingresso aos quadrados grandes demarcados a 4 annos ja de novo em matto serrado Subdividil-os em lottes; 2 grandes transbordações do Rio Itajahy-merim, tendo crescido as aguas 28 palmos sobre o seu estado normal, chuvas frequentissimas, promptificação de Ranchos provisorios de recepção para Colonos que vinhão em multidão tudo isto difficultou e retardou os Serviços necessarios feitos por Colonos, quasi sem utencilios e não acostumados ao matto virgem. Refiro-me a esse respeito ao Relatorio do Director interino João André Cogoy Junior. A paz e tranquilidade da Colonia não soffrerá alteração alguma, logo que forem ausentado d'alí os promottores, cortando assim a collaboração dos seus protectores nesta Cidade, que tanto se occupão para que os protegidos delles alcancem seus fins puramente interesseiros, a semear intrigas e Calumnias gratuitas.

Quanto à Direcção interina da Colonia por João André Cogoy Junior cinjo-me somente a dizer a Vª. Exª. que havendo eu comsciencia da Presidencía procurado todos os meios á meu alcance para remediar as necessidades dos Colonos, por via de abonos pelos negociantes do lugar em generos e denheiros, não tive a felicidade de agradar á ambição dos promottores; e o Director interino, portador de seis contos de reis, e que por ordem da Presidencia os deo em pagamento de abonos devidos, porem já consumidos, não agrada porque responde aos que grittão por denheiro, = que não o tem.

No dia 4 de Agosto do anno passado, anniverçario da fundação da Colonia, os Colonos me dirigirão agradecimentos por meio de um abaixo assinados expontaneo, que aqui tenham a honra de juntar, aonde aparecem tão bem os nomes de Carlos Schuch e de João Braun, como no requerimento da queixa, e quando ultimamente no meiado de Dezembro p.p. voltei a Colonia, já quasi de todo restabelecido da minha grave infermidade, fui recebido com illuminações, Salvas e outras demonstrações de regozijo.

Desde 4 de Agosto pois até fins de Dezembro (estando eu auzente da Colonia desde Outubro, lutando com a morte) n'esse curto espaço de tempo foi, que se operou a transformação do meu caracter e do meu procedimento! Vª. Exª. vê como os meus inimigos aproveitarão o tempo da minha molestia, contando com a minha morte; comtudo receiosos, que talvez eu me restabelecesse cuidarão em tentar de preparar meu descredito. O Pedido relativo a Igreja, Pastores e Medicos, sendo em si justo, he comtudo superfluo porquanto tendo a Directoria feito igual pedido, disse aos Colonos, que sem duvida o Governo em tempo oportuno attenderia á esta necessidade. Como os Supplicantes pedem que Vª. Exª mande examinar o estado da Colonia, Vª Exª. poderá obter informações justas e imparciaes da parte do Vice-Consul Dinamarquez Fernando Hackeaát, que acaba de visitar a CoIonia Brusque, percorrendo-a com minuciosa attenção e fazendo indagações. E para confundir meus gratuitos inimigos, cujo unico empenho é tirar-me a direcção da Colonia para alguem que se diz altamente protegido ser nella empregado, Venho solicitar de Vª. EXª. se digne ordenar um exame em tudo que respeita a mesma Colonia por pessôa da confiança de Vª. Exª. Incluzo devolvo o requerimento dos Supplicantes, a que Vª. Exª. Ordenou eu respondesse. He quanto tenho, em refutação de uma serie de allegações infundadas e atrozes no requerimento dos Suppes, de responder, confiando e certo que de Vª. Exª. me seja feito Justiça.

Deos Guarde a Vª. Exª.

Exm°. e Revm°. Snr Conselheiro Vicente Pires da Motta

Dm°. Presidente da Provincia de Sta. Catharina

Desterro 29 de Janeiro de 1862.

ass. Barão de Schneéburg

Diretor da Colonia

Casa de Brusque