Mostras do Sesquicentenário

De Sala Brusque Virtual

PROJETO “MEMÓRIA VIVA: MEU BAIRRO... MINHA CIDADE”

II Mostra de trabalhos: “Memória Viva: Meu bairro... Minha cidade”.

II Mostra de trabalhos: “Memória Viva: Meu bairro... Minha cidade”.
Fonte: Prefeitura de Brusque
Aconteceu no pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof, iniciando no dia 3 novembro, com a exposição de trabalhos das escolas municipais nos dias 4 e 5.

A história é um entrelaçar constante de tempos e espaços, num movimento contínuo que perpassa o passado e o presente. Esse entrelaçar cotidiano acaba por tecer histórias que ficam escondidas entre as tramas do tempo. É nesse espaço que se destaca a memória como um elemento de onde se extrai a experiência, não se trata de uma amostragem fria e seca, mas ela é épica, pois trata da memória de personagens vivos. Neste ponto somos obrigados a concordar com a historiadora Ecléa Bosi, que afirma “o velho não tem armas. Nós é que temos de lutar por ele”. E esta luta se torna necessária, porque eles são a fonte de onde jorra a essência da cultura, de onde o passado se conserva na lembrança.

A história oficial tem esquecido e, podemos afirmar mais enfaticamente até, que tem esmagado e sufocado a lembrança, é uma história que celebra o vencedor e que esquece os vencidos. Mas há um lugar em que podemos criar uma nova história, uma história que está guardada nas lembranças pessoais e grupais dos indivíduos que compõem a nossa sociedade. E esta história, não está escrita nos livros, não a encontramos nas bibliotecas e muito menos, nas salas de aula. É mais do que hora de lutar para reconduzir a memória a seu verdadeiro lugar de destaque, de criar uma nova possibilidade de integrar a pesquisa, a educação e a cidadania num só projeto que recupere a nossa própria história. Nosso objetivo com o desenvolvimento do “Projeto Memória Viva: Meu bairro...Minha cidade”, é de fornecer suporte para que as escolas da rede municipal de ensino possam elaborar um material paradidático a respeito da história da localidade na qual a escola está inserida. Assim, compilando dados e unindo informações, teremos todo um acervo sobre a história de Brusque, vista sob a perspectiva dos bairros. O trabalho relativo à memória local deverá subsidiar e atuar na escola como instrumento pedagógico, implicando não apenas o levantamento realizado em campo mas também a sua devolução à população, efetivando assim, o relacionamento entre a escola municipal e a comunidade. Assim, por meio desta pesquisa, da descoberta, do registro, e da criação de situações novas de aprendizagem, instrumentaliza-se alunos para ampliar, sistematizar, aprofundar conhecimentos, conduzindo-os à reflexão, à crítica e à percepção das relações dinâmicas da realidade e da construção da história. Definindo-se como espaço de guarda e consulta dessas memórias a “Sala Brusque”, localizada na Biblioteca Pública Ary Cabral, que conta com a parceria com a Secretaria de Educação.

Prof. MSc. Marlus Niebuhr

Diretor do Patrimônio Histórico de Brusque.

Coordenador do projeto “Memória Viva: Meu bairro...Minha cidade”.

Ferramentas pessoais