Livro Brusque 150 anos

De Sala Brusque Virtual

Capa da primeira edição do Livro "Brusque 150 anos - Tecendo uma História de Coragem".
O livro "Brusque: 150 anos - Tecendo uma História de Coragem", lançado em 31 de julho de 2012, contou com a colaboração de 10 pesquisadores em História que escreveram 14 capítulos.


[PARA REALIZAR O DOWNLOAD DA SEGUNDA EDIÇÃO DO LIVRO CLIQUE AQUI]


Tabela de conteúdo

Capítulos - 1ª edição

014 INTRODUÇÃO: OS TEXTOS E OS CONTEXTOS, CONSTRUINDO UMA HISTÓRIA

PARTE UM - NOVOS OLHARES

CAPÍTULO I - XOKLENG: A TRAJETÓRIA DE UM POVO FRENTE AO PROCESSO DE IMIGRAÇÃO EUROPEIA NO SÉCULO XIX

(Texto de Robson Gallassini)

024 Território Xokleng: nação de caçadores/coletores entre o planalto e o litoral catarinense

032 Os conflitos: Xokleng versus Imigrantes ou Imigrantes versus Xokleng

045 Os Bugreiros: caçadores de gente

049 João Indaiá Schaefer: um sobrevivente das chacinas dos bugreiros, um homem entre dois mundos

052 Profissões: João e o mundo do trabalho

053 Antônia Maria Benatti Schaefer • Os filhos

CAPÍTULO II - UM BREVE OLHAR SOBRE A IMIGRAÇÃO E OS ELEMENTOS SOCIOCULTURAIS NA FORMAÇÃO DA COLÔNIA ITAJAHY (BRUSQUE)

(Texto de Graziela Maffezzolli)

065 Aspectos da Alemanha e Itália no século XIX • Alemanha

066 Itália • O País da Cocanha

067 A Chegada do Imigrante Alemão ao Vale do Itajaí-Mirim e a construção da Colônia Itajahy

071 Terras e Estradas

072 Moradia, Tecnologia e Produção Rural

076 A venda e a vila

078 Migrações e Diversidade: a presença de outros grupos

085 A Chegada do Imigrante Italiano à Colônia Itajahy (Brusque): o Contrato Caetano Pinto

087 Motins

089 Localização e estabelecimento

090 Economia nas Linhas Italianas • Madeira

092 Ouro • Calcário

093 Sericicultura • O Caminho do Meio: Alla Vergine Madre di Dio

095 A Capela, o Seminário e o museu

098 Santa Casa de Misericórdia

100 Considerações

CAPÍTULO III - COLÔNIA PRÍNCIPE DOM PEDRO: UMA COLÔNIA PLURAL

(Texto de Carlos Eduardo Michel)

108 A Colônia Príncipe Dom Pedro

112 Os Americanos

118 Os Poloneses

122 Príncipe Dom Pedro: uma colônia plural

CAPÍTULO IV - TECENDO UMA HISTÓRIA: IMIGRAÇÃO, COTIDIANO E TRABALHO

(Texto de Marlus Niebuhr)

127 De Desterro a Itajahy: contextualizando uma época

130 Brusque: um lugar longe de casa

134 Memória e Documento: Enchentes em Brusque

142 Memória e Documento: Histórico da Comunidade Evangélica • Breve Autobiografia do Pastor Sandreczki

144 Uma rua, uma história

146 Empreendedores e trabalhadores

151 Atividades na colônia

162 Organização e resistência

165 Ecos e sombras: um estudo sobre o movimento operário na década de 50

169 As trabalhadoras Têxteis em Brusque e Nova Trento

172 Da fábrica para a Igreja: um olhar sobre Nova Trento

173 Memória e Documento: Primeira Igreja Matriz de Brusque

179 Considerações

CAPÍTULO V - CURA E MORTE: CHÁS, DOENÇAS E MÉDICOS

(Texto de Marlus Niebuhr)

188 Brusque: os primeiros médicos

194 Novos tempos: Casa de Misericórdia de Azambuja

196 Memória e Documento: Recortes de profissionais da saúde veiculados no jornal Brusquer Zeitung (Gazeta Brusquense)

200 Primeira farmácia, enfermidades, médicos e parteiras

201 Memória e Documento: Recortes de anúncios em almanaques e jornal que circulou em Brusque

207 Hospital Arquidiocesano Cônsul Carlos Renaux; inauguração da Maternidade e a chegada de novos médicos à cidade

215 Brusque terá SAMDÚ; a nova maternidade; novos e velhos males

220 Memória e Documento: Vista aérea do centro de Brusque em 1960

222 A hora da morte

CAPÍTULO VI - FRAGMENTOS DA HISTÓRIA DE BRUSQUE NO PERÍODO DE TRANSIÇÃO ENTRE A MONARQUIA E A REPÚBLICA

(Texto de Regiane Pedrini Fischer)

231 No amanhecer da República

236 A criação da Guarda Nacional e a influência de seus membros na política

238 Brusque: Terra de Coronéis

242 A República chega a Santa Catarina

244 Federalistas versus Republicanos

251 A criação do município de Brusque

253 As repercussões da Proclamação da República em Brusque

256 A economia de Brusque nas décadas finais do século XIX

260 De vendeiros a industriais: o início da industrialização em Brusque

264 Considerações Finais

CAPÍTULO VII - 1900 a 1950: UM RELATO DOS ACONTECIMENTOS QUE MARCARAM A HISTÓRIA BRUSQUENSE

(Texto de Robson Gallassini)

Parte I

273 O Progresso: novos caminhos, uma nova ponte, 50 anos de fundação e Brusque iluminada • Uma Estrada para o Sertão

274 Mudança de Planos

278 A Construção da Ponte Coronel Vidal Ramos

282 As festividades de Inauguração

285 Joana: o Marco Comemorativo dos 50 anos de fundação da cidade

290 Energia elétrica • Um cenário iluminado: dos lampiões 'chics e elegantes' a usina de energia elétrica de Bauer

291 A Indústria e as limitações energéticas

294 Edgar von Buettner e os lampiões a álcool: 'econômicos, asseados e brilhantes

298 Iluminação pública: um debate

303 Uma Usina Hidrelétrica na Guabiruba Sul: um projeto ousado

305 O contrato de concessão

306 Que se faça a luz: a Vila iluminada.

307 Entra em cena a energia elétrica: o discurso da modernidade

309 A Inauguração da Nova Prefeitura

310 Memória Fotográfica: Prefeitura de Brusque

312 O Nascimento de uma Praça Pública

Parte II

318 Acontecimentos e comemorações da germanidade na cidade de Brusque • Comemoração dos 100 anos da Colonização Alemã em Santa Catarina

321 Dezembro de 1934: marinheiros do Cruzador alemão Karlsruhe visitam Brusque

326 Marinheiros do Cruzador Karlsruhe em visita a Blumenau

329 O Hindenburg sobrevoa a cidade

CAPÍTULO VIII - A REVOLUÇÃO DE 1930 E SEUS EFEITOS NA CIDADE DE BRUSQUE

(Texto de Robson Gallassini)

Parte I

338 Os momentos finais da administração de Augusto Bauer: 1927-1930.

339 A composição do poder local

340 Os homens de negócios

342 A administração de Augusto Bauer

345 Caixa de Socorros Públicos e de Mendicância

347 A manutenção da Caixa de Mendicância

Parte II

348 A Revolução de 1930 e seu desenrolar em Santa Catarina

351 A cidade às vésperas da chegada das tropas aliancistas

355 As forças revolucionárias chegam a Brusque

358 Rodolfo Victor Tietzmann: prefeito provisório

360 Governo Provisório: Brusque sob a administração Tietzmann

365 Os respingos das disputas políticas e a Rua do Cedro

CAPÍTULO IX - “BONS TEMPOS AQUELES...” SOCIABILIDADES DO INÍCIO DO SÉCULO XX

(Texto de Carlos Eduardo Michel)

374 As sociedades germânicas em Brusque

376 Turnverein

379 Gesangverein

380 A maior festa da Colônia: Schützenfest

382 Um passeio por Brusque...

388 Dos salões aos Gramados: o surgimento de um esporte moderno

393 “Bons tempos aqueles...”

PARTE DOIS - OUTRAS POSSIBILIDADES

CAPÍTULO X - NOS MEANDROS DO ITAJAÍ-MIRIM

(Texto de João Carlos Mosimann)

406 Peter Joseph Werner (Pedro José)

408 Johann Paul Kellner

411 As dez famílias pioneiras

413 Da aldeia à vila

CAPÍTULO XI - CRIME E ESCRAVIDÃO NA COLÔNIA ITAJAHY (BRUSQUE) - 1861

(Texto de José Bento Rosa da Silva)

422 Testemunhos e depoimentos

426 As razões do crime

CAPÍTULO XII - PRESENÇA DEHONIANA NA EDUCAÇÃO EM BRUSQUE

(Texto de Karina Santos Vieira Schlickmann)

431 Padres Dehonianos: em contexto

432 Padres Dehonianos: em Brusque • Escola Paroquial e Grupo Escolar

434 Escola de Agricultura e Comércio

435 Escola Normal e Ginásio, Escola Técnica Comércio São Luiz e SENAC

436 Convento SCJ

===CAPÍTULO XIII - ALDO KRIEGER: UM EXPOENTE BRUSQUENSE, UM GRANDE MÚSICO BRASILEIRO (Texto de Meire Anne Hoeppers Ruiz)

443 A família, duas artes e um expoente

449 A viagem e estudos no Rio de Janeiro, o Conservatório de Música e a Associação Coral de Florianópolis

CAPÍTULO XIV - HISTÓRIAS CARNAVALESCAS: COMEMORAÇÕES EM BRUSQUE

(Texto de Luciana Paza Tomasi) 461 As primeiras comemorações do Carnaval em Brusque

464 As folias carnavalescas nos Clubes Paysandú e Carlos Renaux

470 O desfile dos clubes carnavalescos nas ruas da cidade

473 Considerações


ANEXOS

477 Breve relato biográfico de Francisco Carlos de Araújo Brusque

478 Brasão de Brusque

479 Lei Nº 156 - Cria o brasão de armas do Município de Brusque

480 Hino do Centenário de Brusque - Brusque: eu te amo de paixão!

481 Homenagem a Ayres Gevaerd e a Sociedade Amigos de Brusque

482 Departamento de Patrimônio Histórico

484 Desfile comemorativo “Brusque 150 anos”

488 Exposição História Brusque 150 anos

492 Inauguração da Praça Sesquicentenário

494 Projeto “Memória Viva: Meu Bairro... Minha Cidade”

498 Memórias dos Jogos Abertos de Santa Catarina

502 Revitalização da Praça Vicente-Só

Capítulos 2ª edição

Na segunda edição, foi alterada a paginação a partir do capítulo IX em diante.

CAPÍTULO IX 386 “BONS TEMPOS AQUELES...” SOCIABILIDADES DO INÍCIO DO SÉCULO XX

(Texto de Carlos Eduardo Michel)

388 As sociedades germânicas em Brusque

390 Turnverein

393 Gesangverein

394 A maior festa da Colônia: Schützenfest

396 Um passeio por Brusque...

402 Dos salões aos Gramados: o surgimento de um esporte moderno

407 “Bons tempos aqueles...”

PARTE DOIS - OUTRAS POSSIBILIDADES

CAPÍTULO X 414 NOS MEANDROS DO ITAJAÍ-MIRIM

(Texto de João Carlos Mosimann)

420 Peter Joseph Werner (Pedro José)

422 Johann Paul Kellner

425 As dez famílias pioneiras

427 Da aldeia à vila

CAPÍTULO XI 434 CRIME E ESCRAVIDÃO NA COLÔNIA ITAJAHY (BRUSQUE) - 1861

(Texto de José Bento Rosa da Silva)

436 Testemunhos e depoimentos

440 As razões do crime

CAPÍTULO XII 444 PRESENÇA DEHONIANA NA EDUCAÇÃO EM BRUSQUE

(Texto de Karina Santos Vieira Schlickmann)

445 Padres Dehonianos: em contexto

446 Padres Dehonianos: em Brusque • Escola Paroquial e Grupo Escolar

448 Escola de Agricultura e Comércio

449 Escola Normal e Ginásio, Escola Técnica Comércio São Luiz e SENAC

450 Convento SCJ

CAPÍTULO XIII 454 ALDO KRIEGER: UM EXPOENTE BRUSQUENSE, UM GRANDE MÚSICO BRASILEIRO

(Texto de Meire Anne Hoeppers Ruiz)

457 A família, duas artes e um expoente

463 A viagem e estudos no Rio de Janeiro, o Conservatório de Música e a Associação Coral de Florianópolis

CAPÍTULO XIV 474 HISTÓRIAS CARNAVALESCAS: COMEMORAÇÕES EM BRUSQUE

(Texto de Luciana Paza Tomasi)

475 As primeiras comemorações do Carnaval em Brusque

478 As folias carnavalescas nos Clubes Paysandú e Carlos Renaux

484 O desfile dos clubes carnavalescos nas ruas da cidade

487 Considerações

CAPÍTULO XV 490 A SOCIEDADE BRUSQUENSE EM 1912 SEGUNDO O "BRUSQUER ZEITUNG"

(Texto de Álisson Sousa Castro)

492 Brasilianisches Deutschtum

495 Estrutura e temáticas

496 Hauptnachrichten: a manchete principal

498 Ausländ. Nachrichten

500 Lokal Nachrichten

502 Considerações

ANEXOS

505 Breve relato biográfico de Francisco Carlos de Araújo Brusque

506 Brasão de Brusque

507 Lei Nº 156 - Cria o brasão de armas do Município de Brusque

508 Hino do Centenário de Brusque - Brusque: eu te amo de paixão!

509 Homenagem a Ayres Gevaerd e à Sociedade Amigos de Brusque

510 Departamento de Patrimônio Histórico

512 Desfile comemorativo “Brusque 150 anos”

516 Exposição História Brusque 150 anos

520 Inauguração da Praça Sesquicentenário

522 Projeto “Memória Viva: Meu Bairro... Minha Cidade”

526 Memórias dos Jogos Abertos de Santa Catarina

530 Revitalização da Praça Vicente-Só

532 140 anos do Colégio Cônsul Carlos Renaux: identidade étnica e os primeiros tempos

542 Igreja Evangélica de Confissão Luterana de Brusque

546 Patrimônio Histórico: Primeiro tombamento de Brusque

547 Sala Brusque Virtual

Autores

PARTE UM – NOVOS OLHARES

  • INTRODUÇÃO: OS TEXTOS E OS CONTEXTOS, CONSTRUINDO UMA HISTÓRIA.
  • TECENDO UMA HISTÓRIA: IMIGRAÇÃO, COTIDIANO E TRABALHO.
  • CURA E MORTE: CHÁS, DOENÇAS E MÉDICOS.

Elaborado por Marlus Niebuhr. Mestre em História do Brasil Meridional - UFSC (1997). Especialista em História do Brasil – UNIVALI (1990). Graduado em História pela UNIVALI (1988). Atuou como professor titular da Fundação Educacional de Brusque desde 1991, atualmente, Unifebe, onde fundou e coordenou o Centro de Documentação Oral e Memória – CEDOM (1997 a 2007), na mesma instituição coordenou o Curso de História, e também coordenou o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em História - Um tema contemporâneo: A Intolerância na Sociedade Latino-Americana – (2005 – 2006), em parceria com o Laboratório de Estudos sobre Intolerância - LEI, da Universidade de São Paulo (USP). Atuou como coordenador do Curso de História da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). Atua desde 1990, como professor titular da Universidade do Vale do Itajaí. Entre 2009 e fevereiro de 2014 ocupou o cargo de Diretor de Patrimônio Histórico na Fundação Cultural de Brusque.


  • XOKLENG: A TRAJETÓRIA DE UM POVO FRENTE AO PROCESSO DE IMIGRAÇÃO EUROPEIA NO SÉCULO XIX.
  • 1900 a 1950: UM RELATO DOS ACONTECIMENTOS QUE MARCARAM A HISTÓRIA BRUSQUENSE.
  • A REVOLUÇÃO DE 1930 E SEUS EFEITOS NA CIDADE DE BRUSQUE.

Elaborado por Robson Gallassini. Especialista em História – Um tema contemporâneo: A Intolerância na Sociedade Latino-Americana - Unifebe (2006). Graduado em História pela Unifebe (2003). Atualmente é professor de História no Centro Educacional Cultura (Brusque) e no Colégio Madre Francisca Lampel (Gaspar).


  • UM BREVE OLHAR SOBRE A IMIGRAÇÃO E OS ELEMENTOS SOCIOCULTURAIS NA FORMAÇÃO DA COLÔNIA ITAJAHY (BRUSQUE).

Elaborado por Graziela Maffezzolli. Especialista em Educação: Sociedade e Cultura - FURB (2008). Graduada em História - Unifebe (2004). Atuou como professora no Colégio Cultura e na Rede Municipal de Educação de Brusque e também como Coordenadora do Centro de Direitos Humanos de Brusque. Atualmente é Diretora eleita na Escola de Ensino Fundamental Professora Augusta Knorring.


  • COLÔNIA PRÍNCIPE DOM PEDRO: UMA COLÔNIA PLURAL.
  • “BONS TEMPOS AQUELES...” SOCIABILIDADES DO INÍCIO DO SÉCULO XX.

Elaborado por Carlos Eduardo Michel. Graduado em História pela UNIVALI (2009). Atuou na rede pública de educação entre 2008 e 2010. Atualmente é músico e professor de História e Filosofia no Centro Educacional Cultura e Colégio Cenecista Honório Miranda (Brusque).

  • FRAGMENTOS DA HISTÓRIA DE BRUSQUE NO PERÍODO DE TRANSIÇÃO ENTRE A MONARQUIA E A REPÚBLICA.

Elaborado por Regiane Pedrini Fischer. Especialista em História – Um tema contemporâneo: A Intolerância na Sociedade Latino-Americana - Unifebe (2006). Graduada em História pela Unifebe ( 2003). Atuou como professora-tutora-externa do Curso de História, na modalidade a distância, promovido pela UNIASSELVI/ASSEVIM. Atualmente ocupa a função Coordenadora de Ensino Fundamental Séries Finais, Ensino Médio e EJA na Secretaria Municipal de Educação em Brusque.

PARTE DOIS – OUTRAS POSSIBILIDADES

  • NOS MEANDROS DO ITAJAÍ-MIRIM.

Elaborado por João Carlos Mosimann. Graduado em Engenharia, professor e pesquisador e escritor. Desenvolve temas ligados à história catarinense. Recebeu o Prêmio Elisabete Anderle da Fundação Catarinense de Cultura, pela obra “Catarinenses – Gênese e História”.


  • CRIME E ESCRAVIDÃO NA COLÔNIA ITAJAHY (BRUSQUE) - 1861.

Elaborado por José Bento Rosa da Silva. Doutor em História – UFPE – (2001). Mestre em História do Brasil – PUC/SP (1994). Especialista em História Econômica (1986) e História do Brasil (1988). Graduado em História pela UNIVALI (1985). Atuou como professor na Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI e Centro Universitário de Brusque – Unifebe. Atualmente é professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).


  • PRESENÇA DEHONIANA NA EDUCAÇÃO EM BRUSQUE.

Elaborado por Karina Santos Vieira Schlickmann, Mestre em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC (2011). Especialista em Orientação, Supervisão e Gestão Educacional pelo ICPG (2006) e Graduada em História pela Unifebe (2003). Atuou como secretária do Arquivo Provincial Padre Lux – APPAL.


  • ALDO KRIEGER: UM EXPOENTE BRUSQUENSE, UM GRANDE MÚSICO BRASILEIRO.

Elaborado por Meire Anne Hoeppers Ruiz, especialista em História – Um tema contemporâneo: A Intolerância na Sociedade Latino-Americana - Unifebe (2006). Graduação em História pela Unifebe (2003). Atua como professora na escola Lareon.


  • HISTÓRIAS CARNAVALESCAS: COMEMORAÇÕES EM BRUSQUE.

Elaborado por Luciana Paza Tomasi especialista em Gestão Escolar no período de (2009-2010). Graduada em História pela FURB (2008). Atuou como professora na rede municipal, estadual e particular de ensino. Atualmente é historiadora da Sociedade Amigos de Brusque – Museu Histórico do Vale do Itajaí-Mirim.


  • A SOCIEDADE BRUSQUENSE EM 1912 SEGUNDO O "BRUSQUER ZEITUNG".

Elaborado por Álisson Sousa Castro, mestrando em Patrimônio Cultural e Sociedade pela UNIVILLE (2013-2014). Especialista em Metodologia do Ensino de História e Geografia pela UNINTER (2011). Graduado em História pela UNIVALI (2008). Atua como historiador na Fundação Cultural de Brusque desde maio de 2011.

Ferramentas pessoais