Antônio Gianesini

De Sala Brusque Virtual

  • Com a colaboração de Luiz Gianesini.

“Superintendência Municipal de Brusque em 9 de janeiro de 1915.

O snr. Carlos Renaux, Superintendente Municipal em exercício etc -

Faz saber a todos os habitantes do município, que usando das atribuições que lhe confere a lei vigente nomeia para exercerem os cargos de Intendentes Distritais os Snrs. Antônio Gianesini para Porto Franco, Paulo Habirtzreuter para Peterstrasse, Francisco Kohler para Gaspar, Leopoldo Heil para Limoeiro, José Schlindwein para Guabiruba Sul, André Comper para Lageado, Antônio Bodemiller para Posso Fundo, Antônio Schlindwein para Margem Esquerda, João Hodecker para Cedro Pequeno, Leopoldo Day para Guabiruba Norte e Henrique Knihs para Águas Claras.”

Antônio Gianesini

Em 1.945, Porto Franco foi elevado à categoria de Distrito e como primeiro Intendente Distrital foi nomeado o Sr. Adão Bonomini, que permaneceu no cargo até 1.952. Quem assumiu como novo Intendente foi o Sr. Augusto Ângelo Maestri, que governou a intendência até maio de 1.962.

Em 28 de abril de 1962, a Câmara Municipal de Brusque, sob a presidência do Sr. João Batista Martins, sancionou a Resolução de Nº 238, que criava os municípios de Botuverá e Guabiruba, desmembrados do território do município de Brusque. Em 7 de maio de 1962, a Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, através da Lei Nº 821, homologou a criação dos Municípios de Botuverá e Guabiruba. Em 9 de junho de 1962, foi instalado oficialmente o Município de Botuverá, data oficial da emancipação política e administrativa do mesmo. Nesta data assumiu provisoriamente como prefeito, o Sr. Zeno Belli, até ser eleito um prefeito efetivo, o que aconteceu em 3 de outubro de 1962.

CINQUENTENÁRIO DE 28 DE ABRIL PARA BOTUVERÁ

Em finais de janeiro de 2002, fui visitar o saudoso Évido Bonomini e conversamos sobre os fatos ocorridos. Évido Bononomin, filho de Adão e Maria Maestri Bonomini, nasceu em Botuverá, aos 15.11.1932, era casado com Ana Tereza de Freitas Bonomini, com a qual teve dois filhos: Marco Antônio e Evenita Beatriz (em 2002 tinha 5 netos e 2 bisnetos). Era Funcionário da Malária, aposentado.

Teve alguma ligação com a instalação do Município de Botuverá?

Em 1945, Porto Franco foi elevada à categoria de Distrito de Brusque, tendo sido o meu pai, Adão Bonomini, nomeado o primeiro intendente distrital, permanecendo no cargo até 1952.

Algum fato ocorrido nessa época que poderia ser lembrado?

Vivíamos ainda o governo do ditador Vargas, e Brusque tinha como Chefe do Executivo, Paulo Lourenço Bianchini, e, em seguida Dr Carlos Moritz e já havia uma política ambiental, e meu pai fazia cumprir religiosamente. Dois pontos enervavam os cidadãos da localidade: a) A pessoa seguia o seguinte ponto: se o cervo nos rios para colocação de coves fosse de pedra, tudo bem, contudo se fosse de bambu, o pescador era multado – preservação da espécie ; b) as toras de madeira retiradas no mato deveriam ser observar um determinado diâmetro e o lenhador deviria retirar todos os ramos do local do corte e usá-los também, senão seria multado.

O que resultou da cobrança ao cumprimento das duas normas?

Augusto Angelo Maestri e outros provocaram a queda de meu pai da Intendência. Vale ressaltar que Augusto é irmão de minha esposa e de Ana Maestri Belli, a esposa do Zeno Belli.

A família aceitou os acontecimentos?

A história é um pouco longa, vou tentar resumir: Em 1950, fui trabalhar no estado de Paraná – em diversas cidades: Guaratuba, Paranaguá, Ponta Grossa, Curitiba, Jacarezinho, Londrina, Maringá e Guaíra, tendo permanecido por lá até os idos de 1986-. Todavia, por volta de 1957, tendo recebido as férias normais de 30 dias mais uma premiação correspondente a 30 dias , além de um salário de gratificação, resolvi passar em Porto Franco e tentar dar o troco no Augusto.

Em que consistia esse troco?

Conhecia bem os vereadores de Brusque, Pedro Morelli e Carlos Boos – isso já na administração de Cyro Gevaerd -. Solicitei que elaborassem um cabeçário para um abaixo-assinado no sentido da instalação do Município e com tal medida daria o troco no Augusto. Consegui 103 assinaturas, mas a de meu avô e de meu pai não valeram e uma de uma tia , por pressão retirou a assinatrua

Como efetivou-se essa pressão?

De toda ordem,a começar pelo Padre Carlos, um padre meio alemão, que numa missa me tachou de comunista, além de trabalhar encima das pessoas que tinham assinado a lista de adesão. De outro norte, o Augusto A. Maestri, o Dionísio Pedrini e o José Bonus Leite Carroso elaboraram novo abaixo-assinado, igualmente no sentido de instalar o Município.

Foi tomada alguma providência tendo em vista o novo abaixo-assinado?

Acelerei-me e junto ao Tabelionato Gevaerd reconheci todas as assinaturas, exceto as três que mencionei

Qual foi o desfecho de tudo?

Enviamos tudo para a Câmara de Vereadores de Brusque, resultando na aprovação.

Como se deu a escolha de Zeno Belli para presidir o novo Município?

Como não houve acordo entre os políticos envolvidos com a instalação e o Zeno era casado com uma mulher daqui, Cyro Gevaerd indicou e foi aprovado o nome de Zeno Belli, como o primeiro Prefeito, no caso foi nomeado.

Quanto ao nome do novo Município?

Como Porto Franco é o nome de uma cidade Paraguaia optou-se por Botuverá.

Como surgiu a denominação “Botuverá”?

Na verdade antigamente surgiu o nome da mosca berneira, que era denominada botuverá, pronuncia-se botuvéra - mas foi feito uma campanha – como a localidade estava infestada de garimpeiros na perseguição do valioso metal ouro incansavelmente perseguido. Quanto ao acento foi uma questão de adequação à língua portuguesa.

Valeu a pena o esforço impregnado?

Valeu sim. Pelo que vinha caminhando a intendência nas mãos do Augusto e pelo fato de Brusque não proporcionar a atenção necessária ao então distrito, al´´em de todo imposto recolhido na localidade ficar com Brusque, valeu o troco que dei no Augusto.

Os dois últimos atos administrativos do Município de Brusque em relação a Intendência de Botuverá

Lei 24/61

“Autoriza o Poder Executivo Municipal a elevar os vencimentos do Intendente de Botuverá “ Eu, Cyro Gevaerd, Prefeito Municipal de Brusque, faço saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º – Fica o Poder Executivo Municipal, autorizado a elevar os vencimentos do Intendente de Botuverá, para CR$ 7.200,00 ( sete mil e duzentos cruzeiros, mensais, a partir de 1º de abril do corrente ano 4.

Art. 2º – omissis

Art.3º – omissis

Prefeitura Munii4cipal 4, em 6 de abril de 1961.

Cyro Gevaerd

Prefeito Municipal

Lei 84/62

“Autoriza o Poder Executivo Municipal a proceder cancelamento de débitos”

Eu, Cyro Gevaerd, Prefeito Municipal de Brusque, faço saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º - Fica o Poder Executivo Municipal, autorizado a proceder o cancelamento dos débitos das Intendências de Botuverá, Vidal Ramos, e Itaquá, referente ao ano de 1956, assim discriminados:

Intendência Distrital de Botuverá …............35 015,00 … omissis

Art. 2º omissis

Prefeitura Municipal, 07 de junho de 1962

Cyro Gevaerd

Prefeito Municipal

Ferramentas pessoais